IDLocal abre ciclo 2015 com oficina para novos membros e apresenta agenda de trabalho

Em seu 3º ciclo, a Iniciativa ‘Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos’ (IDLocal) do GVces desenvolverá diretrizes empresariais de monitoramento do desenvolvimento local e de avaliação de impacto 17/03/2015
COMPARTILHE

Bruno Toledo

Investimentos em infraestrutura e em grandes empreendimentos podem trazer consigo oportunidades importantes de desenvolvimento para regiões fora dos grandes centros urbanos e econômicos. Entretanto, ao mesmo tempo, eles também desafiam os territórios que os recebem, geralmente despreparados para lidar com os efeitos colaterais de uma grande e repentina mudança socioeconômica, e a própria empresa, igualmente despreparada para lidar com as demandas que sua presença pode despertar nos territórios onde atuam. Os ruídos nessa relação entre empresa e comunidade local não são irrelevantes: eles podem resultar em transtornos sociais, econômicos e políticos, que afetam os interesses da população, da empresa, do poder público e dos investidores.

Nesse contexto, o setor empresarial busca cada vez mais estratégias que levem ao entendimento de seus impactos e de suas contribuições para o desenvolvimento local sustentável. “Estamos observando alguns esforços de empresas e atores locais avançando na formulação de projetos de monitoramento do desenvolvimento territorial, realizados por meio de processos participativos voltados à construção e apropriação de indicadores locais”, explica Lívia Pagotto, coordenadora da iniciativa Desenvolvimento Local & Grandes Empreendimentos (IDLocal), do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces). “Além disso, temos também esforços de algumas empresas que vêm se dedicando a estudos de avaliação de impacto das iniciativas corporativas que visam alcançar a transformação em alguma dimensão do território, como fortalecimento do empreendedorismo e aumento de renda”.

Partindo desse cenário e da relevância que esses desafios possuem no plano global – com a construção dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que substituirão os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) neste ano – a proposta de trabalho da ID Local para 2015 é discutir com as empresas as motivações, os propósitos e, principalmente, as limitações e oportunidades de avanços no que diz respeito à avaliação de impactos empresariais nos territórios e ao monitoramento do desenvolvimento local.

null

As atividades do ciclo 2015 da IDLocal foram abertas no último dia 26 de fevereiro, com uma oficina de alinhamento para novos membros, realizada na FGV de São Paulo. Além de apresentar a proposta de trabalho para 2015, a equipe da IDLocal e do GVces também relembrou os principais pontos do trabalho desenvolvido por esse grupo de empresas nos ciclos 2013/2014 (proteção integral de crianças e adolescentes) e 2014 (inovação em desenvolvimento local).

“Neste ano, nossa proposta é construir coletivamente diretrizes empresariais de monitoramento do desenvolvimento local e de avaliação de impacto, tanto do ponto de vista das dinâmicas territoriais quanto dos impactos corporativos”, explica Lívia Pagotto sobre o trabalho da IDLocal em 2015. Além da construção dessas diretrizes, a IDLocal também pretende identificar organizações que tenham formulado e/ou aplicado experiências bem sucedidas nesses temas, o que será feito a partir de edital a ser lançado no final desse semestre.

“É fundamental para o avanço da agenda de desenvolvimento sistematizar e refletir sobre os aprendizados resultantes desses esforços empresariais em monitoramento e avaliação de impacto como meio para a compreensão das dinâmicas territoriais”, completa Lívia.

A primeira oficina do ciclo 2015 da IDLocal será realizada no próximo dia 25 de março, na FGV-SP. Saiba mais sobre esse ciclo aqui.

Mais lidos

Nenhum post encontrado.